• Adoradores
  • quarta-feira, 2 de julho de 2014

    Um conto que é real

      Já parou pra assistir  um filme chamado "As Crônicas de Nárnia" ? 
     É uma estória que passa um pouco da história da bíblia.
     (Peço que leiam porque é mais que uma resenha, é para entender melhor o tamanho do amor de Cristo).
    Existiam 4 irmãos (dois meninos e duas meninas), cada um com um jeitinho diferente, Lúcia a irmã mais nova acaba achando um "guarda-roupas" mágico que leva ela pra uma terra completamente diferente chamada Nárnia, e logo os quatro irmãos estão juntos nessa terra.


      Edmundo é o garoto mais novo, ele acaba conhecendo a "rainha de Nárnia" que na verdade é uma bruxa, e ele acaba oferecendo os irmãos dele pra essa rainha em troca de manjar, um doce. Além disso ela promete fazer dele rei e que os irmãos dele seriam servos, e ele aceita.

      Edmundo representa a nós, vivemos trocando o amor de Deus pelas coisas passageiras que esse mundo oferece, para alguns cristãos é difícil demais seguir a Cristo por se acharem fracos demais, por acharem o mundo atraente demais e até por ainda duvidar se existe realmente um Deus pelo qual valha a pena viver. Duro demais? é isso que fazemos.
             

      A feiticeira Branca se intitula de "rainha de Nárnia", ela é uma mulher fria, graças a ela tudo é congelado nessa terra, Edmundo não consegue trazer seus irmãos para ela e ela resolve o aprisionar, e começar a buscar por esses irmãos para os matar, já que a chegada deles representava uma profecia em que esses 4 irmãos iriam tirar o trono dela.

     O gelo que congela Nárnia representa o poder do inimigo sobre o mundo, tornando a terra como um lugar frio, onde as pessoas querem sempre usar as outras, tirar vantagem, sentimentos egoístas, morte, fome, maldade.


      A feiticeira representa o inimigo, enganou Edmundo e até deu o que ele queria comer, mas quando ele não fez o que ela queria, ela o aprisionou. Isso significa que o inimigo oferece tentações, mas quando não agimos como ele quer, ele nos faz prisioneiros pelo que ofereceu. Uma das coisas que é enfatizada no filme é o desprezo e nojo da feiticeira por Edmundo, ela considera ele um nada, e fala sobre a traição dele por "docinho". O mesmo acontece com o inimigo, que nos vê como um nada, traidores que trocam todo o amor de Deus por pouco.

      Aslam é o verdadeiro rei de Nárnia, e começa os planos para acabar com a era da feiticeira branca, acabar com a era gelada.

     Ele, junto com os três irmãos e todos os que apoiam o fim do inverno se juntam para uma batalha, conseguem recuperar Edmundo das mãos dela, mas a feiticeira branca não deixa isso barato, ela vai até Aslan para cobrar o sangue de Edmundo, já que existia uma lei que falava que todo traidor pertencia a ela. Aslan vai conversar com ela, e consegue libertar Edmundo, mas em troca o próprio rei de Nárnia tem que se entregar e ser morto no lugar do garoto.
     
      Aslan representa o sacrifício de Jesus, no caso o leão é considerado o "rei da selva" o mais forte, com mais vigor, representando algumas das muitas qualidades de Deus. Quando nós ainda estávamos trocando o amor de Deus, Ele resolveu morrer no nosso lugar. Quando a feiticeira pede o sangue do traidor é como o inimigo pedindo o nosso sangue, já que ele tinha oferecido suas tentações, e as coisas que alimentavam nosso ego, e nós as aceitamos, por isso considerava nossa vida dele. (O salário do pecado é a morte), mas é claro, existe um Deus que nos ama, e pra nos livrar desse decreto foi no nosso lugar, como um Pai salvando um filho.

     A cena representando o sacrífico de Aslan mostra como foi com Jesus, foi humilhado por pessoas que não tinham nada de bom, e ficou em silêncio, torturado e não reagiu. E antes de o matar, ela falou para ele:  "Sabe Aslan, estou meio decepcionada com você, achou mesmo que com tudo isso poderia salvar o traidor humano (Edmundo/nós)? você vai me dar a sua vida, mas nunca ele será salvo . Hã, é nisso que da o amor."


     Depois da morte de Aslan, a guerra continua, o exército da feiticeira maior do que o dos quarto irmãos, e eles começam a enfraquecer. Até que a mesa onde Aslan foi morto se parte ao meio, e ele revive, ele diz que se a feiticeira entendesse  significado de sacrifícios, ela entenderia que um inocente não pode ser morto como um traidor, isso anularia a morte dele. Quando Aslan revive, o exército que estava aprisionado pela feiticeira também ganha força, e eles conseguem derrotar a feiticeira e o seu exército, acabando com a era de gelo, com a opressão, o medo, trazendo vida a um lugar morto.

     Quando Cristo ressuscitou trouxe a liberdade pra nós, a vitória, nosso sangue já não estava nas mãos do inimigo. E tudo isso por amor. Pelo maior e mais forte amor que já existiu.
     Depois que eu vi o filme, fiquei ainda mais apaixonada pela obra de Cristo, e pela força do seu amor por nós. Você ainda vai rejeitar esse amor?

    As crônicas me fizeram perceber o quanto trocamos a Deus por coisas pequenas, e o quanto o inimigo joga isso na nossa cara, quantas vezes ficamos com medo de ir a presença de Deus por achar que não o merecíamos?
     mas Ele não nós vê assim, Ele vê mais que um pecador, Ele nos chama pelo nome, limpa e quer estar ao nosso lado, e qual o preço disso? nenhum, Ele fez tudo por amor, e com esse amor temos a liberdade de estar ao lado dEle, eternamente. 

    Leia também:
    • Blogger
    • Disqus

    Seja o primeiro a comentar!

    Deixe teu comentário!